SAER/Fron retoma atividades com a aeronave no Oeste Catarinense

O equipamento passou por manutenção

 

Chapecó/SC, 19 de março de 2024 – Após um período de baixa da aeronave da Polícia Civil, operada na Fronteira pela Unidade do SAER-FRON, para fins de manutenção, o helicóptero está novamente operacional e a equipe apta para atendimentos Policiais e Aeromédicos, estes, em conjunto com Equipe de Saúde do SARA.

Conforme o delegado Coordenador do Saer/Fron, Albert da Silveira, durante o período de manutenção da aeronave, a Equipe do SAER-FRON esteve dando apoio a diversas outras Operações Policiais na área de Fronteira, inclusive resultando em prisões e apreensões diversas.

Foto: Divulgação/SAER/Fron

Também foi mmantido ativo o Núcleo de Operações com Aeronaves Remotamente Tripuladas (drones), atuando em levantamentos de inteligência e capturas. Da mesma forma, as atividades de Inteligência, no âmbito da fronteira, se mantiveram constantes pelo Núcleo de Inteligência do SAER-FRON.

Em razão dessas atividades, foi possível, dentre outras ações, a apreensão de um helicóptero modelo R44, o qual passará a ser utilizado pela Polícia Civil.

Também as atividades de treinamento e de gestão, especialmente para a manutenção das aeronaves, foram constantes, possibilitando o reinício das operações com o helicóptero dento do alto nível de segurança operacional que caracteriza as ações da aviação de segurança pública.

Já na retomada das atividades da aeronave, em apoio ao 3º Batalhão Ambiental da Brigada Militar, seis homens foram flagrados realizando pesca ilegal no Rio Uruguai, na altura do município gaúcho de  Alpestre, nas proximidades das casa de força da Usina Hidroelétrica (UHE) Foz do Chapecó. Os homens estavam em duas embarcações.

Ao realizar a abordagem, a equipe do 3º BABM flagrou, no interior dos barcos, peixes da espécie Dourado. Essa espécie está ameaçada de extinção, tendo sua pesca proibida em qualquer época do ano no Rio Grande do Sul. Ainda, o local é área proibida para a pesca.

Os seis homens foram detidos, sendo realizada a apreensão dos petrechos de pesca – carretilhas, anzóis, iscas, bem como a apreensão das duas embarcações e do pescado. Foi confeccionado um Boletim de Ocorrência Policial, os autores enquadrados na legislação vigente e responderão pelo crime ambiental.