Presidente da FAESC e vice-presidente de finanças da CNA destaca a importância da Agenda Legislativa do Agro 2024

O documento, divulgado durante evento em Brasília, aponta os principais temas e projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional e impactam o agronegócio

Brasília/DF, 24 de março de 2024 – O presidente do Sistema Faesc/Senar e vice-presidente de finanças da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Zeferino Pedrozo, participou nesta semana (dia 20) do lançamento da Agenda Legislativa do Agro 2024. O documento, divulgado durante evento em Brasília, aponta os principais temas e projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional e impactam o agronegócio.

A Agenda Legislativa do Agro 2024 foi entregue pelo presidente da CNA, João Martins, e pelo vice-presidente da entidade, José Mário Schreiner, ao presidente da Câmara, Arthur Lira, ao presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Pedro Lupion, aos ministros Carlos Fávaro (Agricultura) e Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar) e à senadora Tereza Cristina, que também participaram do painel “Soluções para o produtor rural”.

“A grandiosidade do evento confirma o importante trabalho desenvolvido pelas lideranças do segmento para impulsionar o agronegócio em todo o país. A relevância do nosso setor como propulsor da economia nacional é cada vez mais reconhecida e nossas reivindicações visam garantir que toda a cadeia produtiva continue movimentando a economia e promovendo desenvolvimento para todo o país”, destacou Pedrozo.

O dirigente também realçou que a Agenda 2024 está consistente ao reunir as principais demandas atuais do setor agropecuário. “O documento envolve reivindicações estratégicas relacionadas às questões econômicas e sociais, de sustentabilidade, competividade, entre outras fundamentais para impulsionar o nosso agronegócio”.

A cerimônia para a entrega da Agenda Legislativa reuniu, na sede da entidade em Brasília, deputados, senadores, ministros, embaixadores, presidentes e integrantes das Federações de Agricultura e Pecuária dos Estados e das Comissões Nacionais da CNA, entidades e lideranças do setor produtivo.

Ao discursar na abertura do evento, o presidente João Martins destacou que “nos tempos em que vivemos, o Parlamento tem sido a instância central de proteção do produtor frente a uma grande variedade de incompreensões e de ameaças. Tem sido, também, o principal local de acolhimento de nossos interesses e de nossos direitos”.

Martins afirmou que o Congresso Nacional é, hoje, “a instituição que melhor reflete o sentimento dos brasileiros, e a que melhor equilibra os interesses que, na sua diversidade, precisam coexistir numa sociedade livre e progressista”.

Ao falar da importância da interação do setor com o Congresso Nacional, o presidente da CNA afirmou que a entidade acompanha cerca de seis mil projetos de lei em tramitação nas duas casas e “que têm impacto na produção rural e na vida dos produtores”. Desse total, completou, foram priorizadas 65 propostas para compor a Agenda Legislativa do Agro 2024.

João Martins citou “pautas decisivas em 2024”, como o direito de propriedade, a regulamentação do novo imposto sobre o valor agregado, marco temporal, além de legislações sobre meio ambiente e trabalhista. “Sobre esses temas, teremos de nos colocar em acordo e nos aplicarmos, para que o agro permaneça como o grande motor da economia brasileira”.

Ele ainda reafirmou a confiança do setor nos deputados e senadores para defender os interesses do setor. “Graças à qualidade da ação política de deputados e senadores, o agro superou, em 2023, sérias ameaças ao direito de propriedade, em particular com a aprovação do marco temporal para demarcação de terras indígenas, em áreas já consolidadas de produção agropecuária”.

O vice-presidente da CNA, José Mário Schreiner, apresentou os oito principais pontos da Agenda Legislativa. Inicialmente, ele falou da preocupação do setor com a regulamentação da Reforma Tributária e enfatizou a necessidade de acompanhar as discussões sobre as leis complementares. Sobre o meio ambiente, Schreiner defendeu a aprovação do licenciamento ambiental.

OS PRINCIPAIS PONTOS PARA O AGRO EM 2024

Os oito temas da Agenda Legislativa do Agro 2024 estão divididos em “Economia e tributação”; “Meio ambiente”; “Direito de propriedade”; “Relações trabalhistas”; “Produção agropecuária”; “Infraestrutura e logística”; “Tecnologia e educação no campo” e “Relações internacionais”.

Segundo a diretora de Relações Institucionais da CNA, Mírian Vaz, a agenda, elaborada em conjunto com a área técnica da CNA, auxilia na construção do diálogo com o Poder Legislativo e promove um melhor debate em benefício do setor produtivo. “O lançamento da Agenda corrobora o compromisso da Confederação com o produtor rural, na busca por soluções para os problemas enfrentados pelo setor através da comunicação com embasamento técnico”, disse Mírian.

Confira a agenda legislativa do agro 2024: https://cnabrasil.org.br/paginas-especiais/agenda-legislativa-do-agro

Com informações da CNA / MB Comunicação

Foto: Divulgação CNA