Janeiro Roxo: Um olhar sobre a Hanseníase

Chapecó possui 06 pacientes em tratamento para hanseníase, sendo 04 homens e 02 mulheres

 

Chapecó/SC, 14 de janeiro de 2024 – O Janeiro Roxo é um mês alusivo ao combate à Hanseníase – uma doença transmitida através da fala, tosse ou espirro, ou pelo contato próximo e prolongado com outras pessoas contaminadas com a doença, atinge a pele e os nervos das extremidades do corpo. Os principais sintomas incluem manchas na pele com alterações da sensibilidade, queda de pelos no local e comprometimento de nervos periféricos, levando à sensação de dormência nas mãos e pés, além de perda de força muscular.

Em caso de sintomas ou suspeita da doença, a orientação a população é procurar o Centro de Saúde do seu bairro para consulta e avaliação. Se houver necessidade de tratamento, o paciente será encaminhado ao Centro Especializado em Tuberculose, Hanseníase e Hepatites Virais (CETHH), onde será realizada as consultas, o acompanhamento e o monitoramento, realização de exames e disponibilização de medicamentos para uma melhor efetividade no tratamento.

O Secretário de Saúde, Jader Danieli, reforça que é importante a população saber que possui acesso a uma saúde pública de qualidade, e que poderá receber acompanhamento de excelentes profissionais, capacitados para esse atendimento. Ele explica também que a doença tem cura, e o tratamento é realizado com antibióticos, distribuídos e fornecidos gratuitamente pelo SUS. “É importante a população conhecer sobre os sintomas, pois o diagnóstico precoce previne a progressão da doença“, comentou.

Hanseníase

A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa e de evolução crônica, que afeta os nervos e a pele e é causada pelo bacilo Mycobacterium leprae. A doença é transmitida através das vias aéreas (secreções nasais, gotículas da fala, tosse, espirro) de pacientes com a forma infectante da doença que não receberam tratamento. Assim, é necessário conscientizar a população sobre as manifestações clínicas da doença e assegurar a todos acesso ao diagnóstico e ao tratamento precoce.

No Brasil, cerca de 30 mil novos casos da doença são detectados todos os anos. Hoje, o município de Chapecó possui 06 pacientes em tratamento para hanseníase, sendo 04 homens e 02 mulheres. Além disso o serviço acompanha os familiares dos pacientes em tratamento. Os usuários que receberam alta do serviço especializado, CETHH, são acompanhados por um período de 05 anos, mantendo a disposição ainda a rede de atenção à saúde para dúvidas e atendimentos necessários.

Saiba mais:

O que é hanseníase?

  • É uma doença transmissível, causada pelo bacilo de Hansen, que atinge a pele e os nervos das extremidades do corpo.

Quais são os sinais e sintomas?

  • Manchas esbranquiçadas e/ou placas bem delimitadas, avermelhadas ou amarronzadas. Nessas manchas e placas, a sensação de calor ou frio, dor ou o toque estão alteradas em relação à pele sadia;
  • Áreas da pele sem manchas que são dormentes ou em que você não sinta dor quando machuca, em qualquer parte do corpo;
  • Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas, cãimbras e agulhadas nos braços e pernas, principalmente em mãos e pés;
  • Caroços e inchaços pelo corpo, em alguns casos avermelhados e doloridos.

Como ter acesso ao serviço:

  • Através do encaminhamento dos Centros de Saúde da Família e/ou de outro serviço de saúde, com o diagnóstico ou pré avaliação de outro profissional de saúde.

CETHH

  • O CETHH atende de segunda à sexta- feira das 07h às 19h, na Rua Heribelto Hulse, 84-D – Bairro Passo dos Fortes. Telefones: 3330-7426 e 3330-7427 e WhatsApp 3330-4437. E-mail: hepatite@chapeco.sc.gov.br

Foto e informações: PMC/Divulgação