Dezembro Laranja: mês de conscientização contra o câncer de pele

Neste ano foram registrados 266 casos de câncer de pele em Chapecó

 

Chapecó/SC, 06 de dezembro de 2023 – Conscientizar as pessoas sobre o câncer de pele e sobre a importância de procurar um médico para entender a combinação ideal de medidas de proteção para a pele. Esses são os objetivos da campanha “Dezembro Laranja” promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Em Chapecó, no ano de 2023, foram registrados 266 casos de suspeitas de câncer de pele, que foram acompanhados ou estão em avaliação pelas equipes de saúde. Os pacientes iniciam o atendimento no posto de saúde do bairro, realizam os exames necessários para avaliação e são encaminhados para os médios especialistas que atendem na Policlínica Municipal.

De acordo com Daniela Rebelatto, médica dermatologista, dezembro foi escolhido como o mês de conscientização e combate ao câncer de pele justamente por ser a época mais quente do ano e com maior incidência de raios solares. Segundo ela, qualquer pessoa está sujeita a ter câncer de pele e algumas manifestações podem ser sinais de alerta.

Por exemplo, pequenas feridas no rosto, braços, peito e nas costas, ou seja, locais que pegam muito sol e que não cicatrizam, que ficam por mais de 3 a 4 semanas e que podem sangrar, ou ainda pintas, manchas escuras irregulares que tenham mais de 2 cores e que mudaram o seu padrão”, explicou.

Ela reforça que a proteção contra os efeitos do sol é fundamental em todas as situações do dia a dia. “Muitas pessoas acham que o uso do protetor se limita apenas quando estamos em área de área de lazer, como piscina ou praia, mas a verdade é que a prevenção deve acontecer diariamente”, afirmou.

Rebelatto orienta que o protetor solar deve ser usado diariamente, com fator de proteção acima de 30, lembrando de reaplica-lo durante o dia. “Importante também usar roupas com proteção ultravioleta, usar chapéus, bonés e óculos escuros”, disse.

A médica lembra ainda que os pacientes que observarem a presença de um sinal novo, mancha ou feridas que não estão cicatrizando e que se expôs muito ao sol ao longo da vida, devem procurar um médico para avaliação.

Com informações: PMC/Divulgação