Dengue em SC: cuidados e prevenção devem continuar mesmo nas férias

Até agora, o ano de 2023 foi o que mais registrou casos de dengue no estado

 

Eliminar locais com água parada é a melhor maneira de prevenir as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti: dengue, chikungunya e Zika. Cuidados que precisam se estender ao longo de todo ano, permanecendo, inclusive, no período de férias, no qual as condições climáticas são muito favoráveis para a reprodução do mosquito. São essas ações, simples e rotineiras, que podem tornar o ano de 2024 mais tranquilo em relação às doenças.

Até agora, o ano de 2023 foi o que mais registrou casos de dengue no estado. Foram 119.525 casos confirmados, com 98 óbitos. Esse dado é preliminar e ainda pode sofrer alterações. Entretanto, reforçam a importância do papel de cada um na prevenção da doença.

Os números absolutos são mais altos do que o registrado em 2022, quando foram confirmados 83.523 casos e 90 óbitos. Porém, a taxa de letalidade ficou menor em 2023 – quando analisamos os óbitos em relação aos casos com sinais de alarme e gravidade: 2,3%, contra 5,5% de 2022.

O Governo do Estado intensificou as ações de prevenção durante o ano passado e apoiamos os municípios, ainda em dezembro repassamos R$ 5 milhões e ainda estão previstos mais R$ 5 milhões para o mês de fevereiro. Um pedido do nosso governador Jorginho Mello para evitarmos os casos graves da doença em parceria com os 295 municípios”, destaca a Secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

Os dados de 2024 vão começar a ser divulgados a partir da semana que vem, nos informes epidemiológicos da Dive. “Ainda é muito cedo para já termos um cenário deste ano. O que fica de alerta para a população é que temos a presença do mosquito, disseminada pelo estado, e temos os vírus, especialmente da dengue e da chikungunya, circulando. Além disso, temos uma condição climática muito propícia para a reprodução do mosquito Aedes aegypti. Essa combinação mostra que é preciso manter semanalmente a vistoria nas casas, quintais e ambientes de trabalho. Precisamos eliminar os potenciais criadouros do mosquito, pois essa continua sendo a melhor estratégia de prevenção”, destaca o diretor de vigilância epidemiológica de SC, João Augusto Brancher Fuck.

Dengue

Febre baixa a febre alta incapacitante (39° a 40°C) de início abrupto, associada à forte dor de cabeça, dor no fundo dos olhos, dores musculares, nas articulações e fraqueza. Esses são os principais sinais e sintomas da dengue. Manchas pelo corpo aparecem em metade dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes. A Secretaria de Estado da Saúde orienta que ao apresentar algum desses sinais e sintomas, deve-se procurar atendimento médico para evitar o agravamento do quadro.

A melhor maneira de prevenção às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti continua sendo eliminar locais com água parada:

  • Evite que a água da chuva fique depositada e acumulada em recipientes como pneus, tampas de garrafas, latas e copos;
  • Não acumule materiais descartáveis desnecessários e sem uso em terrenos baldios e pátios;
  • Trate adequadamente a piscina com cloro. Se ela não estiver em uso, esvazie-a completamente sem deixar poças de água;
  • Manter lagos e tanques limpos ou criar peixes que se alimentem de larvas;
  • Lave com escova e sabão as vasilhas de água e comida de seus animais de estimação pelo menos uma vez por semana;
  • Coloque areia nos pratinhos de plantas e remova duas vezes na semana a água acumulada em folhas de plantas;
  • Mantenha as lixeiras tampadas, não acumule lixo/entulhos e guarde os pneus em lugar seco e coberto.

Foto: Jonatã Rocha / Secom