Chapecó inicia treinamento nas escolas municipais contra ataques e amplia medidas de segurança

A primeira escola a receber a capacitação foi a Florestan Fernandes, onde 30 servidores receberam informações de como agir em caso de ataque

 

Nesta segunda-feira (19), a Guarda Municipal de Chapecó iniciou uma ação de capacitação nas escolas municipais para enfrentar ataques, como já ocorridos em algumas escolas do país. De acordo com o subcomandante da Guarda Municipal, Luiz Antônio Stobe, dez guardas municipais fizeram neste ano o Curso de Gerenciamento de Crise, com 54 horas de treinamento, e agora vão compartilhar seus conhecimentos nas escolas. A capacitação foi com Johnny Mascarenhas, especialista em segurança e ex-negociador do GATE – Grupo de Ações Táticas Especiais da PMESP. Ele também fez palestras para professores das redes pública e privada de Chapecó, numa ação da Prefeitura.

A primeira escola a receber a capacitação foi a Florestan Fernandes, onde 30 servidores receberam informações de como agir em caso de ataque.

“O objetivo é que os professores e demais servidores da escola já saibam que atitudes tomar no caso de uma ocorrência dessa natureza, tanto para proteger a vida quanto para alertar a vizinhança e forças de segurança”, disse o comandante da Guarda Municipal, Roger Natan de Lima.

No início da tarde desta segunda-feira o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, convocou uma reunião com a presença do comando da Guarda Municipal, diretoria de Licitações, do Diretor de Segurança Pública, Clovis Ari Leuze e da secretária de Educação, Astrit Tozzo.

Durante a reunião o prefeito pediu reforço na Patrulha Escolar, que já foi implantada há dois anos no município, além da agilidade nas obras de reforço no cercamento das escolas, que já está em andamento.

Sobre a instalação de portas com detectores de metal, onde Chapecó foi pioneira no país, cinco escolas já contam com o equipamento, 12 estão em fase de instalação, segundo a secretária Astrit Tozzo e o prefeito pediu para lançar a licitação de mais 13, para chegar a 30 escolas.

Além disso a Prefeitura comprou 100 sirenes que serão instaladas nas 84 unidades escolares, para chamar o apoio da vizinhança em caso de ataque. Também foi adquirido spray laranja, além de câmeras de monitoramento.

As escolas contam também com cerca de 25 vigias e mais 54 coordenadores de segurança escolar, cargo que foi criado em Chapecó logo após o ataque numa creche de Blumenau.

O diretor de Segurança Pública, Clovis Ari Leuze, destacou que no dia 3 de julho inicia o curso para aprovados no novo concurso da Guarda Municipal. No curso serão 60 pessoas mas inicialmente devem ser chamados 40 novos guardas, no final do ano. Eles também vão reforçar as patrulhas de segurança nas escolas.