Audiência Pública revela nova gestão para o Hospital da Criança

O encontro foi possível em função das proposições do vereador Ivaldo “Gringo” Pizzinatto (UB) e da deputada estadual, Luciane Carminatti (PT)

 

A Câmara de Vereadores de Chapecó e a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), realizaram nesta segunda-feira (22), uma Audiência Pública, para tratar dos atendimentos e dos problemas financeiros do Hospital da Criança. O encontro foi possível em função das proposições do vereador Ivaldo “Gringo” Pizzinatto (UB) e da deputada estadual, Luciane Carminatti (PT).

Além de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e secretários municipais do Oeste, a audiência contou com a presença de representantes do Hospital da Criança (HC), Hospital Regional do Oeste (HRO) e da secretária Estadual da Saúde, Carmen Zanotto.

A Prefeitura de Chapecó, anunciou há alguns dias, de que o Hospital da Criança, hoje administrado pela mesma associação que comanda o HRO, será municipalizado a partir do dia primeiro de junho. “Essa informação trouxe uma grande discussão, já que os municípios da região só poderiam encaminhar crianças para o Hospital Regional, o que poderia causar uma superlotação na instituição”, lembrou o vereador Gringo.

O secretário de Saúde de Chapecó, Jader Danielli, e o diretor do Hospital da Criança, Nemésio Carlos da Silva, anunciaram que uma empresa está interessada em administrar o (HC) e que a decisão deve ser informada nos próximos dias. “O processo burocrático está em fase final”, destacou Danielli.

Segundo dados da direção do Hospital da Criança, a instituição que tem 195 funcionários, realizou em 2022, 67 mil atendimentos e mais de duas mil cirurgias. São 51 leitos de internação disponíveis e uma média de 208 crianças atendidas por dia com abrangência em mais de 70 municípios da região.

Fotos: Amauri Sales / Rádio Chapecó

A secretária Carmen Zanotto, avisou que já existe um compromisso firmado entre Governo do Estado e Prefeitura de Chapecó, de que o Hospital da Criança não será fechado. Segundo ela, os dois entes da federação estão discutindo a melhor forma de gestão e medidas adotadas para melhorar e até ampliar o atendimento.

“Em relação a uma empresa que poderá assumir o HC, isso vem acontecendo em diversos locais do país, inclusive assegurando o emprego de quem já trabalha atualmente na instituição”, completou.