Apae Chapecó realiza atividades na colônia de férias 

A programação irá até 9 de fevereiro

 

Chapecó/SC, 29 de janeiro de 2024 – A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Chapecó, com o intuito de desenvolver a socialização dos educandos através de momentos de brincadeiras e diversão, realiza Colônia de Férias para usuários a partir desta terça-feira, 30 de janeiro. Essa atividade tem programados atendimentos em dias alterados para que seja possível a participação de todos que fazem parte da instituição, e irá até 9 de fevereiro.

Com a prática de atividades físicas, socialização e estímulo de habilidades artísticas, entre outras atividades de cunho pedagógico, a coordenadora pedagógica Ana Paula Spagnol pontua que a Colônia de Férias valoriza a troca de ideias, o respeito ao próximo e a valorização do trabalho em grupo. “É uma ótima opção para nossos educandos se envolverem em muitas brincadeiras, jogos em grupo com espaços para muita conversa e momentos para explorar as habilidades sociais, comunicativas e artísticas, pois assim eles praticam atividades lúdicas e prazerosas, aprendem coisas novas e usam de sua energia durante quase o dia todo“, destaca a coordenadora.

RETORNO DAS ATIVIDADES

Além da Colônia de Férias, a Apae iniciou suas atividades internas no dia 10 de janeiro com a organização dos atendimentos para 2024. No dia 15 de janeiro ocorreu o Café de Recepção aos colaboradores, que contou com oração propondo que todos tenham muita energia e bênçãos para realizar seus trabalhos neste ano, além do café da manhã e falas das coordenações e direção da entidade. A retomada dos atendimentos clínicos ocorreu no dia 16 de janeiro. Os professores iniciaram suas atividades com a programação de estudos e palestras entre os dias 15 e 29 de janeiro.

A volta às aulas terá início na próxima segunda-feira, 5 de fevereiro, para alunos da estimulação precoce, de zero a seis anos, enquanto em 15 de fevereiro iniciarão as aulas para os demais níveis. Hoje a Apae conta com 374 usuários matriculados, e desses 286 têm matrícula na Apae escola, podendo ter também matrícula na clínica, enquanto os outros 88 possuem somente matrícula clínica.

Segundo diretrizes elaboradas pela Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), os níveis são de estimulação precoce, serviço pedagógico específico SPE/TEA, serviço de atendimento específico SAE/TEA, serviço de vivências e serviço de convivência.

Foto e informações: Extra Comunica