O Congresso Nacional votou na semana passada, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) com previsões financeiras para 2022. Entre as propostas, estava o valor do Fundo Eleitoral que aumentou de R$ 1,7 bilhão em 2018 para R$ 5,7 bilhões para 2022, ano eleitoral. O aumento dessa proposta fez com que os vereadores de Chapecó se manifestassem contrários ao novo “Fundão” e uma Moção de Apelo será encaminhada ao presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido).

Foto: Arquivo Rádio Chapecó

Durante sessão ordinária, o vereador Ivaldo Pizzinatto (PSL), apresentou em plenário Moção de Apelo para que o presidente faça um veto a este novo valor do fundo eleitoral. O vereador “Gringo”, como é conhecido, disse que num momento de pandemia é inadmissível que o valor do “fundão” seja triplicado.

Na moção, “Gringo” ainda pede que os recursos do fundo eleitoral sejam direcionados para saúde e educação. “O povo precisa de atendimento nos postos de saúde, de vagas nas escolas e não de propaganda política bilionária. Atualmente, o cidadão tem dificuldade até para comprar um botijão de gás”, lembrou. Os 21 vereadores de Chapecó votaram a favor da moção de apelo.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here