A partir de segunda-feira (12), cerca de 200 pacientes, 100 servidores da Secretaria de Saúde de Chapecó, e outros serviços corriqueiros, usarão aplicativo de transporte. Busca de exames, transporte e vacinas, deslocamento de servidores para reuniões, serão neste modelo.

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), disse que conheceu este modelo em visita a Criciúma. “O objetivo não é só a economia com manutenção de veículos, renovação de frota, combustível e servidores. Estamos modernizando e inovando para melhorar o atendimento ao cidadão”, disse o prefeito.

Atualmente, muitas vezes, o serviço do transporte de pacientes de hemodiálise, por exemplo, é feito em uma van. Então o deslocamento que poderia ser feito em menos de 20 minutos, pode demorar mais de uma hora. O horário que um paciente termina o atendimento é diferente do outro, o que também aumenta a demora no retorno. Com um atendimento individualizado, por agendamento, o motorista do aplicativo vai buscar o paciente em sua casa, com horário marcado. Depois que é atendido, basta avisar que um motorista vai buscá-lo.

De acordo com o secretário de Saúde de Chapecó, Luiz Carlos Balsan, atualmente são mais de 100 viagens por dia. O agendamento e as solicitações terão que passar por uma Central, na Secretaria de Saúde, que tem os pacientes cadastrados. Essa central também vai definir se é um atendimento por aplicativo ou um atendimento de urgência e emergência, que precisa ser feito por ambulâncias do município.

Só poderá ser transportado quem se enquadrar em alguns critérios, como pacientes com tratamento contínuo e com baixa renda, além de deslocamentos de servidores em serviço. Mas onde antes se deslocava um funcionário da Saúde mais um motorista, agora vai só um servidor. O gasto mensal é de R$ 320 mil, em média. “Nós vamos prestar um serviço mais ágil ao cidadão e com previsão de economia de 40%”, disse Balsan.

Ouça entrevista com o secretário de saúde de Chapecó, Luiz Carlos Balsan:

 

 

O gerente operacional da MOP Motorista Particular, Thiago Albino, disse que em Criciúma a economia foi de R$ 250 mil no primeiro ano. Ele afirmou que 130 motoristas da empresa, que foi a vencedora da licitação, estão disponíveis para o serviço em Chapecó.

“Nós fizemos uma capacitação para que eles prestem um serviço diferenciado, já que é um público que necessidade de mais cuidado e atenção”, destacou. O serviço também só pode ser prestado dentro dos limites do município.

Ouça o gerente operacional da matriz do MOP, Thiago Albino:

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here