Em meio a pandemia da Covid-19, outra doença com sintomas similares preocupa os profissionais da Secretaria de Saúde de Pinhalzinho, a dengue. Conforme o coordenador da Dengue, Claudir Kollet, após uma avaliação com a equipe da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE), foi apontado um surto de dengue no Bairro Pioneiro. Para conter e eliminar o vírus, foram realizadas várias ações para cessar a transmissão.

”Estamos em um período de 18 dias sem casos suspeitos da doença, isso é importante, é um sinal que os trabalhos do programa da dengue sortiram efeito, junto com a colaboração da comunidade que eliminou possíveis criadouros da dengue. Realizamos trabalhos de planfetagem, mapeamento fotográfico com o auxílio do drone, além do fumacê”, explica o coordenador.

As principais causas da proliferação do mosquito Aedes eagytpy seguem sendo em cisternas abertas, sem o telamento adequado, caixas de água sem a tampa e a água de piscinas sem tratamento. “É importante ter essa conscientização, manter os cuidados. A equipe da dengue recolheu vários depósitos na região onde estávamos com a eminência maior de risco”, lembra Claudir.

Conforme a vigilância sanitária, Pinhalzinho tem 78 focos da dengue em 2021, 30 casos suspeitos e oito confirmados. Dois casos, um no Bairro Santo Antônio e outro no Pioneiro são importados. O município também registra casos autóctones, ou seja, contraídos na própria localidade; dois no Bairro Centro Oeste e quatro no Pioneiro. Com informações da Rádio Centro Oeste.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here