Conforme sugestão da Defesa Civil o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), assinou nesta segunda-feira (10) o decreto de situação de emergência, devido à estiagem que atinge o município e região.

Com a medida, a Administração Municipal poderá adotar mais rapidamente medidas de enfrentamento, além de possibilitar aos agricultores encaminhamentos de demandas.

Em fevereiro choveu 74 milímetros, o que corresponde a 42% da média histórica, em março choveu 94 milímetros, o que dá 66% da média histórica e, em abril tinha chovido 22 milímetros, o que dá 20% da média histórica.

A Administração Municipal está transportando água para moradores do interior, para consumo humano e animal. O diretor de Agricultura, Jonas Bringhenti, relata prejuízos na safrinha de milho, para silagem, além de atraso na implantação das pastagens de inverno.

A Casan adotou um sistema de manobra de registros, num sistema de rodízio em 13 bairros da cidade. Com isso falta água em alguns horários.

O reservatório do Lajeado São José está com apenas 26% da capacidade, que se manteve estável na última semana, graças à chuva e à instalação de bombas de emergência, que aumentaram em 100 litros por segundo a captação da Barragem Santa Terezinha, do rio Tigre, em Guatambu.

Na semana passada também foi lançado o edital para perfuração de poços artesianos no São Pedro, Esplanada e Boa Vista. Segundo a gerência regional da Casan, a empresa vencedora será conhecida no dia 2 de junho, com a abertura das propostas.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here