Depois do episódio em que três crianças e duas professoras foram mortas, áudios disparados por WhatsApp colocam ainda mais medo na população. No áudio, um homem fala sobre possíveis ataques em grupo nas escolas da região.

A Polícia Militar de Pinhalzinho desmente essa possibilidade. “Os telefones da PM de toda região estão congestionados pela quantia de pessoas que buscam informações sobre a investigação de novos ataques, o que não é verdade”, ressalta o policial Prior.

Em um dos áudios são citados veículos de imprensa. Em outros, a ação do jovem de Saudades seria articulada com outras pessoas e seriam coordenadas para causar pânico e morte. “Pedimos a toda nossa comunidade que se acalme que a polícia está investigando”. Com informações da Rádio Centro Oeste.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here