O Sicom Pesquisas divulgou o resultado dos números sobre o preço do cesto de 57 produtos, em Chapecó. A pesquisa foi realizada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom). De acordo com os dados levantados, houve o aumento de 6,78% neste mês de janeiro, o maior registrado desde abril de 2017, quando o percentual de elevação atingiu 8,83%.

Segundo a pesquisa, no primeiro mês de 2021 o preço do cesto de produtos básicos para os chapecoenses passou para R$ 1.751,25, ante R$ R$ 1.640,04 de dezembro. Na comparação com janeiro de 2020, quando o valor levantado foi de R$ 1.376,19, houve aumento de 27,25%.

Foi constatado, também, que os maiores aumentos que contribuíram para a alta do preço final do cesto foram da batata inglesa, com acréscimo de 62,53%, e da cebola, que ficou 57,99% mais cara. Já os produtos que mais apresentaram redução de preço neste mês foram a banana (-5,91%) e o pão francês (-3,87%).

Os dados englobam ainda os alimentos in natura, semi-industrializados, industrializados, produtos de higiene e limpeza e serviços tarifados, como água, energia elétrica e gás. A pesquisa, realizada nos últimos dias 4 e 5, verificou que os produtos in natura apresentaram aumento de 20,58%, e que os produtos semi-industrializados tiveram elevação de 5,21%. Também foi identificado aumento no preço dos produtos industrializados, de 3,16%. Os artigos de higiene aumentaram em 1,69% e no grupo dos materiais de limpeza também houve alta, de 3,70%.

O grupo de serviços tarifados, como energia elétrica, água e gás de cozinha, quando comparado com dezembro, registrou majoração de preços na ordem de 3,13%. Para adquirir o cesto básico, o consumidor chapecoense precisa de 1,59 salários mínimos neste mês.

Cesta básica também aumenta

A pesquisa também consta da síntese dos preços registrados em Chapecó para os 13 produtos que compõem a cesta básica. São eles: açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate. Conforme analisado pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, de um custo de R$ 424,17 em dezembro, a cesta básica passou para R$ 450,68, com aumento de 6,25%.

Com a elevação, o consumidor passa a necessitar de 0,41 salários mínimos para adquirir a cesta básica. Se comparado os últimos 12 meses da cesta básica nota-se aumento de 37,65%.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here