Os 39 municípios da Regional de Saúde de Chapecó vão receber apenas 5.360 doses de vacina no primeiro lote, segundo informações da coordenação macrorregional de Saúde do Estado. Em reunião do Colegiado Gestor Bipartite, ocorrida no fim da tarde desta segunda-feira (18), a coordenadora Otilia Cristina Coelho Rodrigues, disse que serão recebidas 134 caixas, com 40 doses cada. Destas, 29 caixas, com 1.160 vacinas, são específicas para a população indígena, que serão aplicadas nas aldeias Kondá e Toldo Chimbangue, por profissionais da Secretaria Especial de Saúde Indígena.

O início da vacinação em Chapecó está previsto para o fim da tarde terça-feira (19), segundo previsão do Gerente de Vigilância em Saúde de Chapecó, Rodrigo Momoli. A vacina, que chegou nesta segunda-feira em Florianópolis, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), foi distribuída para as cinco regionais. Um avião Arcanjo, dos Bombeiros, deve sair às 8h desta terça-feira da capital e fazer as entregas em Videira, Joaçaba, Xanxerê, Chapecó e São Miguel do Oeste.

Do aeroporto Serafim Enoss Bertaso as doses vão para a rede de frios da macrorregional de Saúde, na antiga Secretaria do Oeste. Depois vão para os municípios, entre eles Chapecó. O número de doses de Chapecó não tinha sido divulgado. Mas as 1,1 mil doses para indígenas ficam na maior cidade do Oeste, além do maior volume das pouco mais de quatro mil doses restantes.

Segundo Otilia Rodrigues, a divisão foi feita pelo número de pessoas prevista na primeira fase de vacinação. “Esse lote é da primeira dose. A segunda dose, que está em Florianópolis, será encaminhada em 15 dias”, afirmou a coordenadora macrorregional.
Em Chapecó a primeira pessoa a ser vacinada será uma funcionária do Hospital Regional do Oeste (HRO).

Os profissionais que trabalham nas UTIs dos hospitais foram escolhidos por estarem na linha de frente de combate à doença. Na sequência serão vacinados os profissionais da ala de enfermaria. Isso tanto do HRO, quanto do hospital da Unimed. A seguir, conforme a disponibilidade, serão vacinados os profissionais que trabalham nos Ambulatórios do Ivo Silveira e da Efapi. Todos devem ser vacinados em seus locais de trabalho.

A vacina será insuficiente para atender os profissionais de saúde de Chapecó, que são cerca de seis mil, muito menos dos 16 mil que estão no primeiro grupo de vacinação, que integra os indígenas, maiores de 75 anos e pessoas com mais de 60 anos que estão em instituições como asilos e casas de repouso.

Na segunda fase de vacinação estão previstas as pessoas entre 60 e 74 anos, que somam 23 mil em Chapecó. A terceira etapa prevê cerca de 30 mil pessoas que apresentam alguma comorbidade, como diabetes, hipertensão, doença renal, cardiovascular, entre outras. A quarta fase engloba professores e profissionais de forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional.

O secretário de Saúde do município, Luiz Carlos Balsan, prevê que a população em geral deva ser vacinada somente no segundo semestre. O município tem 26 unidades de saúde preparadas para vacinação. Porém, a recomendação é de que a população não procure as unidades neste primeiro momento, pois não terá vacina. Depois de vacinados os profissionais de saúde é que serão convocados cada um dos grupos de risco.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here