Dia 28 de julho, é a data instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como o dia mundial de luta as Hepatites Virais. Dessa forma o mês de julho se tornou alusiva ao combate as HEPATITES. O Julho Amarelo é a campanha alusiva e nacional que alerta para a conscientização e prevenção às hepatites virais. Um exame simples e gratuito pode salvar vidas; o teste é rápido é feito em unidades de saúde do município de Chapecó. A testagem é importante para identificar a doença, especialmente porque Chapecó é um município endêmico para a hepatite viral do tipo B.

De acordo com o Enfermeiro Rodrigo Momoli, Coordenador do Centro Especializado em Hepatites Virais de Chapecó-SC, no Brasil, existe 638.814 casos confirmados de hepatites virais, segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde. No Estado de Santa Catarina, o município de Chapecó se destaca pelo número de infectados da HEPATITE do tipo B, com pouco mais de 4200 casos, sendo a HEPATITE C, com 168 casos registrados.

Chapecó conta com testes rápidos em todas as suas Unidades de Saúde, que quando o paciente é identificado como portador, o mesmo é encaminhado ao serviço especializado para os portadores de HEPATITES VIRAIS. Este serviço conta com equipe multiprofissional de saúde para atender as demanda relacionada aos agravos. O serviço está localizado junto ao Centro de Saúde Norte, no bairro Líder. Somente no primeiro quadrimestre, foi mais de 4000 mil atendimentos, entre consulta, encaminhamento de exames e medicamentos para tratamento das hepatites virais.

Saíba mais

As HEPATITES VIRAIS são categorizadas, como um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo e se caracterizam uma inflamação do fígado. É importante ressaltar que existem diversas tipos de HEPATITES, ou seja, a inflamação do fígado pode ser causada ainda por medicamentos, álcool ou podem ser autoimunes. “São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas”, esclarece.

A transmissão da HEPATITE B pode ocorrer pelo ato sexual desprotegido, transmissão vertical, durante o parto ou o compartilhamento de material perfuro cortante inclusive de agulhas. Atualmente existe vacina para HEPATITE do tipo B e para os infectados existe tratamento, desde que diagnosticado precocemente.

A HEPATITE do tipo C, antigamente era transmitida por transfusões de saúde com sangue não testado e contaminado. Atualmente, ocorre predominantemente pelo compartilhamento de material perfuro cortante. Para esse tipo de HEPATITE existe tratamento que pode ou não levar a cura definitiva, porém ainda não há vacina.

A HEPATITE do tipo A tem sua transmissão fecal oral, ou seja, pode ser através da água ou alimentos contaminados, o que não é comum em nossa região.

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here