O governador de Santa Catarina Carlos Moises da Silva (PSL) esteve em Chapecó nesta sexta-feira (29). Pela manhã, visitou o Hospital Regional do Oeste (HRO), onde entregou dez (10) respiradores, ativando assim novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Os equipamentos foram adquiridos junto a empresa catarinense WEG.

Moises também destacou a Medida Provisória (MP) de valorização dos servidores da saúde, que atuam na linha de frente do combate a Covid-19:  Aqueles servidores “que perderam alguma produtividade, que recebiam nos seus proventos, isso tá sendo compensado por Medida Provisória até setembro. Alinhamos, inclusive, com o presidente Júlio Garcia, presidente da Assembleia Legislativa”.

Foto: Rádio Chapecó

“Já tem algum tempo…fizemos o cancelamento, a proibição de cirurgias eletivas nos nossos hospitais, bem como dos atendimentos ambulatoriais…agora, com a retomada gradual…precisamos compensar as perdas que esses servidores tiveram…tem que haver de fato a valorização desses servidores”, disse o governador.

 

 Nova ferramenta para definir medidas de flexibilização ou restrição

Carlos Moises da Silva anunciou ainda uma nova ferramenta, em parceria com a Fecam (Federação Catarinense dos Municípios). Trata-se da regionalização quanto à flexibilização ou restrição de atividades de acordo com os índices apresentados. Onde houver maior número de contágio, mortes e ocupação de leitos, as medidas serão mais rígidas, não colocando no mesmo patamar de regras cidades onde a situação é mais tranquila. “São mais de 100 municípios de SC que sequer tem um caso de Covid-19 confirmado”, afirmou o governador do Estado. “Situações distintas, com tratamentos distintos”, acrescentou. Essa ferramenta começará a ser usada a partir de segunda-feira, dia 1º de junho.

O governador Carlos Moises disse para a Rádio Chapecó que os dados serão carregados no sistema e essa plataforma irá indicar, por cruzamentos de dados, as medidas que poderão ser adotadas. “Óbvio que isso não é mecânico, não é um robô, as pessoas são discutir, vão sentar e vão adequar essas mediadas”, afirmou. Segundo Carlos Moises, o sistema é testado há mais de 15 dias. Para a Rádio Chapecó, o governador de SC afirmou que as medidas serão divulgadas em forma de sugestão e não imposição.

  

Frigoríficos

O governado Moises foi perguntado sobre os frigoríficos: “É um setor muito bem regulado, eles tem protocolos internacionais…entendemos que eles tem condições, sim, de fazer gestão. Já vejo movimentação do setor pra testagem em massa. (As unidades) São setor essencial também, produzem alimentos, é uma cadeia que não pode parar…começa lá na granja”.

E existe um plano para não parar as agroindústrias? Moises declarou que já recebeu o setor e há comunicação constante, coma participação efetiva do secretário estadual de saúde, André Motta Ribeiro. “Todas as medidas que o setor precisar tomar, pra preservar sua atividade, ele (secretário estadual de saúde) tomará”, disse.

 

Respiradores apreendidos

Sobre os respiradores apreendidos após a compra investigada de R$ 33 milhões e a suposta incompatibilidade desses equipamentos com as necessidades reais, o governador afirmou que um laudo está sendo construído. “Tão logo os técnicos falem sobre o assunto, a noticia será dada e as medidas de recuperação do erário público serão tomadas”, enfatizou.

Reunião em Chapecó

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSL), confirmou uma reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid-19. Será uma reunião técnica, a partir das 9h, envolvendo em torno de 35 pessoas. Lembrando que Buligon assumiu essa semana a presidência da Amosc. “A expectativa é que nós tenhamos mais segurança para poder fazer o encaminhamento necessário”, resumiu o prefeito de Chapecó.

Inicialmente o encontro seria realizado na terça-feria (02), porém uma nova data foi definida. Será na quinta-feira, dia 4.

Novos respiradores

O secretário estadual de saúde, André Motta Ribeiro, ressaltou que 400 leitos novos foram instalados até a semana passada e mais 500 respiradores chegam a partir de agora para somar leitos de terapia intensiva. “Todas as regiões do Estado vão receber equipamentos”, afirmou Motta Ribeiro.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here