São decisões coerentes que precisam ser adotadas, diante da situação gerada pelo coronavírus, para restabelecer atividades econômicas, como no comércio e prestação de serviços, além de manter as medidas preventivas de saúde pública. Essa é a avaliação do Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom) quanto às medidas anunciadas pelo governador Carlos Moisés para que sejam retomadas na próxima semana algumas atividades em Santa Catarina.

Para o presidente Sicom, Ricardo Urbancic, “diante de demandas dos associados, as determinações se tornaram necessárias para que paulatinamente se volte à normalidade”. Acrescenta que foi feita gestão perante a Federação do Comércio, para encaminhamento ao governador, no sentido de que a abertura das lojas possa ocorrer a partir desta segunda, 30 de março.

LEIA MAIS: Delegacias da 12ª DRP de Chapecó fiscalizam mais de 520 estabelecimentos

Conforme oficializado pelo governo catarinense, estará liberado o funcionamento do comércio em geral, bares, restaurantes, hotéis, construção civil, escritórios de prestação de serviços em geral, centros de distribuição e depósitos a partir da próxima quarta-feira, 01 de abril. Nessa abertura gradual, a determinação é para que sejam respeitadas algumas regras, entre elas a limitação de entrada de pessoas em 50% da capacidade de público do estabelecimento.

Urbancic avalia que a reabertura não exclui a manutenção dos cuidados preventivos decorrentes do Covid-19, tanto nas empresas como nas residências e espaços públicos em geral. Dessa forma, salienta a importância dos estabelecimentos controlarem aglomerações e tomarem as medidas indicadas de higienização e distanciamento individual para prevenir a contaminação pelo coronavírus.

CONTROLES NO ACESSO

As empresas devem, conforme determinação do governo catarinense, adotar medidas internas, especialmente aquelas relacionadas à saúde no trabalho, necessárias para evitar a transmissão do coronavírus no ambiente de trabalho e no atendimento ao público. Ainda entre as regras está o controle de acesso e marcação de lugares reservados aos clientes. Também deve ser controlada a área externa do estabelecimento, respeitando as boas práticas preventivas e a distância mínima de 1,5 metro entre cada pessoa.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here