A Polícia Civil de Chapecó esclareceu um caso ocorrido aos 10 minutos do dia cinco de junho deste ano. O atropelamento de um homem de 40 anos foi investigado como uma tentativa de homicídio, fato ocorrido na esquina da avenida Getúlio Vargas com a rua Guaporé.

“Um veículo foi utilizado como instrumento do crime”, disse o delegado Thiago de Oliveira, ao explicar que o caso não estava bem claro, mas que foi possível, com bastante empenho, chegar a identificação do carro e do condutor.

O crime tem cunho racial, segundo o delegado, tendo por base o depoimento da vítima: “Apenas ela (vítima) estava no local…relatou que teria sido alvo de ofensas de cunho racial, principalmente depois que o motorista percebeu que ela tinha sotaque…que eles só atrapalhavam aqui no Brasil…que deveriam voltar de onde vieram”.

Foto: Leonardo Vassoler / Rádio Chapecó

O homem atropelado é peruado, tem 40 anos de idade e ganhava a vida vendendo algodão-doce.

PRISÃO

O homem acusado e preso, de acordo com a Polícia Civil, é um empresário do ramo alimentício e tem 28 anos. A autoridade policial entendeu “por bem, pra manutenção da ordem pública, pedir a prisão preventiva desse investigado…também em razão dos antecedentes dele” que, segundo o delegado, teria “diversos crimes de trânsito”, declarou o delegado. Detalhes da investigação só foram divulgados agora, “para evitar eventual fuga do investigado”, preso nesta quarta-feira (5).

PROPOSITAL

“É possível verificar nas imagens que em um primeiro momento o motorista ameaça passar muito perto da vítima com o veículo, chama ela, retorna e depois de uma breve discussão entre os dois, o motorista da o ré, direciona o veículo propositalmente e passa por cima da vítima”, contou, em entrevista, o delegado Thiago de Oliveira.

TRATAMENTO

O policial afirmou ainda que “ela (vítima) ficou internada, passou o tratamento por mais de 60 dias. Hoje já está em casa, não corre mais risco de morte, mas teve fratura exposta e diversos outros ferimentos”. O peruano foi atropelado no momento em que retornava para casa, após ter vendido algodão doce. “Por pouco não foi a óbito”.

DEPOIMENTO DO ACUSADO

O homem preso prestou depoimento. Segundo Thiago de Oliveira, “foi procedido um interrogatório…primeiro quis ficar em silêncio, mas relatou que não lembrava de nada…confirmou eu era proprietário do veículo…que estava aqui (em Chapecó) no dias fatos…mas que não lembra de ter feito isso.” Câmeras de videomonitoramento flagraram o atropelamento.

O empresário, de acordo com o delegado, tem “passagens por embriaguez, direção perigosa, ameaça, vias de fatos e tentativa de homicídio, ocorrida no Rio Grande do Sul em 2010”.

Ouça o delegado Thiago de Oliveira:

 

As investigações tiveram início após familiares procurarem a Polícia Civil para relatar e denunciar o caso. O inquérito policial está em fase de conclusão e posteriormente será encaminhado para o Poder Judiciário.

VEJA O VÍDEO DO MOMENTO DO ATROPELAMENTO (Imagens divulgadas pela Polícia Civil)

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here