O período chuvoso cessou em boa parte do país e o clima está mais frio. Apesar do cenário ajudar a diminuir a proliferação do aedes aegypti, a população não pode descuidar do quintal de casa, do ambiente de trabalho e de todo e qualquer lugar propício para o desenvolvimento do mosquito.

Mesmo durante o inverno, as ações de combate por parte do Ministério da Saúde e dos governos estaduais e municipais continuam.

A reportagem da Rádio Chapecó conversou com o coordenador da Vigilância Epidemiológica municipal, Douglas Fritzen. Em Chapecó, já foram registrados 1.092 focos. O número é maior do que todo o ano de 2018.

 

Em Chapecó, os bairros que mais preocupam são Centro, Efapi, Bom Pastor, Passo dos Fortes e São Cristóvão.

Foto: Arquivo / internet

CUIDADOS NECESSÁRIOS

Coloque areia nos vasos de plantas, seja consciente com seu lixo. As calhas, piscinas e aquários merecem também a sua atenção.

USO DE REPELENTE

O uso de repelentes, principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos, é um método importante para se proteger contra a dengue. Os repelentes caseiros, como andiroba, cravo-da-índia, citronela e óleo de soja não possuem grau de repelência forte o suficiente para manter o mosquito longe por muito tempo.

Além disso, a duração e a eficácia do produto são temporárias, sendo necessária diversas reaplicações ao longo do dia, o que muitas pessoas não costumam fazer.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here