A grua é um equipamento que sempre está presente nas construções civis de grande porte. O operador de grua é o profissional responsável por manejar esse equipamento, recebendo informações de outro funcionário, chamado sinaleiro. Para atuar nessa profissão é muito importante saber trabalhar em equipe, pelo fato de ter que seguir todas as instruções de colegas.

Foto: Leonardo Vassoler / Rádio Chapecó

Esse equipamento é importante, pois traz agilidade e outras vantagens. A grua pode transportar cargas muito pesadas, podendo deslocar objetos por um amplo espaço. Esse fato faz com que o operador de grua seja muito procurado no mercado das construções.

O profissional que deseja atuar nessa área precisa ter um curso de formação, que dura de 6 a 12 meses, e agrega um valor ao currículo. O investimento não é barato, mas em compensação, o operador de grua pode ganhar salários de 2 a 3 mil reais mensais, ou até mais, tendo assim retorno do investimento em um tempo razoável.

Foto: Leonardo Vassoler / Rádio Chapecó

O operador de grua pode atuar em empresas com carteira assinada ou por contratos determinados. Desta forma trabalhará em horários provenientes estipulados, podendo ser em finais de semana e feriados, dependendo do prazo de entrega da obra.

As Gruas

As gruas são dispositivos de transporte vertical de materiais e componentes dentro dos canteiros de obras. Uma das grandes vantagens de possuir um equipamento como esse é reduzir as perdas de mão de obra com tempos auxiliares de transporte, o que agiliza a obra.

O equipamento traz benefícios, mas exige boa gestão em seu uso, pois é um equipamento caro, tanto para aquisição como para aluguel.

Dentro do canteiro, é importante posicionar a grua em local que possibilite máxima varredura de todos os pontos necessários ou, se não houver alternativa, avaliar o conjunto de gruas quanto ao alcance horizontal. Esse posicionamento não é algo flexível, já que existe a necessidade de afixar a grua e produzir uma fundação provisória que irá suportá-la durante o período uso.

Para fazer um projeto para produção com a locação da grua, é importante conhecer a extensão de sua lança, já descontando a parte que fica no lado oposto ao eixo central e que sustenta o contrapeso.

Em geral, é mais comum o uso de grua. Outras soluções menores, como guinchos e elevadores de carga, são mais baratos, porém demanda maior necessidade de mão de obra em transporte.

GRUA ASCENSIONAL

Como o nome diz, ela passa por ascensão, cresce ao longo do tempo. A grua ascensional deve ser fixada em um fosso de elevador, mocheta ou abertura nas lajes destinada a sua instalação e a cada acréscimo de pavimentos, novos módulos estruturais são anexados.

Ela é utilizada para obras que necessitam uma menor capacidade de carga, sendo feita em terrenos pequenos e edifícios que são bastante verticalizados. Existe uma economia na utilização e na fundação do edifício. Mas é preciso adequar um planejamento para que quando retirada não atrapalhe na instalação de elevadores e de outros equipamentos.

GRUA COM TORRE FIXA

Esse é o modelo mais lembrado quando se fala nesse equipamento. A torre que estrutura uma treliça espacial vertical, ela fica fixa a uma fundação própria enquanto lança poderá ter ou não a regulagem de altura. O equipamento também permite movimento vertical, havendo mais flexibilidade no transporte de cargas.

Uma das vantagens no uso desse estilo de grua é que poderá atender mais de um edifício por vez. Ela poderá será fixada em outros edifícios ou em partes do edifício em construção que poderá gerar cargas horizontais.

GRUA COM TORRE MÓVEL

As gruas com torres móveis são úteis nas edificações bastante horizontais, como alguns tipos de centros comerciais ou condomínios. A grua fica sobre trilhos devidamente fixados, havendo o deslocamento sobre rodas da torre. Não há fixação em edifícios ou no solo, o que faz com tenha altura limitada.

Conheça um pouco mais sobre a profissão de operador de grua:

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here