A tarde do domingo, dia 21 de abril, era de decisão em Florianópolis. Avaí e Chapecoense buscavam o título do campeonato Catarinense na Ressacada, pois o time da capital teve melhor campanha na fase de classificação. O Avaí queria a 17ª e a Chape a 7ª conquista estadual. Além de jogar em casa, o Leão da Ilha ainda tinha o retrospecto em seu favor, uma vez que jamais havia perdido final dentro do estádio Aderbal Ramos da Silva, fundado em 1.983. Já o Verdão, em três disputas finais diante do Avaí, tinha dois campeonatos, ambos vencidos na Arena Condá.

A primeira boa oportunidade foi do Avaí, aos nove minutos, quando Gum trombou com Getúlio e a bola ficou para João Paulo, que chutou de longe, à direita de Tiepo. Os jogadores do Verdão reclamaram falta. Até a metade do primeiro tempo, foi só o que o Leão fez.

Foto: Herter Antunes / Rádio Chapecó

Tiepo mostrava-se seguro, mas a zaga verde-e-branca ainda assustava um pouco. O restante do time estava tranquilo em campo. O Avaí não pressionava, mas a Chapecoense também não fazia o goleiro Vladimir trabalhar.

O empate persistia até os minutos finais, até que aos 40 minutos e meio um golaço foi visto na Ressacada. O garoto Régis recebeu de Márcio Araújo e da intermediária soltou o pé esquerdo. O foguete entrou no ângulo esquerdo de Vladimir, que nada pode fazer. Foi o primeiro gol do menino como jogador profissional. E com essa vantagem os times foram para o intervalo. Ouça a narração de Herter Antunes:

 

Na volta dos vestiários, Geninho sacou Mosquera e colocou André Moritz. Ney Franco retornou com a mesma formação. O Avaí queria o empate e começou o tempo complementar indo pra cima. Aos 13 minutos, Gegê cobrou uma falta na trave direita de Tiepo. Um grande susto para o Verdão.

Como o Leão se jogava para o ataque, a Chape explorava os contra-ataques. Régis, extenuado, deu lugar a Amaral, aos 23’. A torcida local, que estava quieta, teve motivos para gritar aos 30 minutos, quando Alex Silva empatou o jogo. Ele aproveitou cruzamento de Luan Pereira, da direita, e de cabeça venceu o goleiro Tiepo.

A partir do empate, o momento do Avaí era melhor. O gol incendiou a Ressacada e o time da casa pressionava. Os minutos finais foram dramáticos e clube da capital bombardeava a zaga verde-e-branca. Tiepo salvou aos 44’ minutos e evitou o gol de Getúlio. O tempo normal terminou empatado por um a um.

Fotos: Redes Sociais

A decisão foi para os pênaltis. E nas penalidades máximas, deu Avaí, por 4 a 2. O Avaí converteu todas as cobranças, com João Paulo, Luan, Pedro Castro e Jones Carioca. A Chape fez com Gustavo Campanharo e Rafael Pereira. Aylon e Bruno Pacheco erraram suas cobranças. A última cobrança, de Bruno Pacheco, teve autuação do VAR, que acabou confirmando que a bola não entrou. No entanto, dirigentes da Chapecoense reclamaram que a bola entrou por completo na última cobrança de pênaltis. Bráulio da Silva Machado apenas recebeu orientações por rádio, não foi olhar a imagem. Se confirmasse o gol, a disputa seguiria. Sem falar que houve invasão de campo dos torcedores avaianos antes da decisão final do árbitro.

 

Foto: Herter Antunes / Rádio Chapecó

Avaí campeão pela 17ª vez e Chape vice-campeã pela 7ª ocasião.

A Associação Chapecoense não terá muito tempo para recuperar o grupo. Na quarta-feira (24) encara o Corinthians pela rodada de volta da 4ª fase da Copa do Brasil. No sábado, dia 27, o Inter será o adversário, na Arena Condá, pela primeira rodada da Série A.

Avaí: 89)Vladimir 22)Iury 33)Marquinhos Silva 3)Betão 2)Alex Silva 5)Mosquera (André Moritz) 7)Pedro Castro 20)Gegê (Luan Pereira) 19)João Paulo 11)Brizuela (Jones Carioca) 99)Getúlio Técnico – Geninho

Chapecoense: 98)Tiepo 2)Eduardo (Rafael Pereira) 3)Gum 23)Douglas 6)Bruno Pacheco 10)Gustavo Campanharo 8)Márcio Araújo 86)Elicarlos (Lourency) 83)Régis (Amaral) 18)Aylon 77)Everaldo Técnico – Ney Franco

Arbitragem: Bráulio de Silva Machado (Fifa), auxiliado por Helton Nunes (CBF) e Alex dos Santos (CBF). 4º Árbitro – William Machado Steffens (CBF) / 5º Árbitro – Johnny Barros de Oliveira / Delegado – Manoel de Paula Machado // VARÁrbitro: Rafael Traci; Assistente: Carlos Berkembrock; Supervisor: Vayran da Silva Rosa; Manager: Claudio Freitas

Cartões amarelos: Everaldo, G. Campanharo, Amaral (Chap); João Paulo, Iury, Luan Pereira, Getulio (Avaí)

Estádio: Aderbal Ramos da Silva (Ressacada), em Florianópolis

Horário: 16h (Domingo, dia 21/04/19)

Público: 15.876

Renda:

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here