O Ceom, Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina recolheu esta semana uma urna funerária no interior de Itapiranga. Conforme a arqueóloga do Ceom, Mirian Carbonera, o processo é demorado. A comunicação do objeto encontrado ocorreu em dezembro e foi preciso ter autorização do Iphan, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para fazer a coleta.

RELEMBRE O CASO, CLIQUE AQUI 

Ela destaca que as pessoas não devem remover, pois tem a necessidade de autorização do Governo Federal para a retirada de maneira correta. Observa que o conjunto funerário pode estar acompanhado de outros objetos e utensílio frágeis.

Foto/inf: Rede Peperi

A urna de cerâmica foi encontrada com a tampa danificada e um esqueleto decomposto “Trata-se de um conjunto funerário composto por uma urna de cerâmica lisa e um vaso de cerâmica com decoração utilizado como tampa. Na parte interna foram encontrados somente alguns dentes, estes indicam que era um jovem. O achado pertence a grupos pré-coloniais conhecidos como Tupiguarani ou Guarani, que viveram na região entre 1500 anos atrás“, explica a coordenadora do Ceom, professora Miriam Carbonera.

Ela considera que na região do Vale do Rio Uruguai é comum encontrar urna funerária antiga. São mais de 500 sítios arqueológicos e Itapiranga está no projeto de recadastramento que iniciou em primeiro de fevereiro.

O município deve ser visitado no período de inverno para evitar problemas em lavouras. A arqueóloga diz que o recadastramento não prevê escavações e sim apenas delimitar os sítios. Informa que os objetos recolhidos são levados para o Ceom e podem retornar para o município de origem.

NOSSA REGIÃO

Os principais sítios arqueólogos na região estão localizados nos municípios de Itapiranga, Mondaí, Caibi, Cunha Porã e Palmitos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here