A Chapecoense aproveita o fim da temporada para realizar a revitalização do gramado da Arena Condá. Os procedimentos iniciaram ainda no domingo, após última rodada do Brasileirão 2018, para que o gramado tenha o tempo necessário para ficar em perfeitas condições no início da temporada 2019.

Durante a temporada, após grande número de jogos o gramado fica mais duro e, devido a compactação, ocorre uma redução significativa na drenagem. Para melhorar as condições do campo é necessário realizar a atividade de Descompactação e Aeração.

Foto: Daniel Fasolin/Chapecoense

De início, procede-se uma operação denominada corte vertical para remoção do excesso de palha acumulado durante o ano e, em seguida, a grama é cortada rente ao chão. Na sequência uma máquina perfura o gramado e tira charutos de terra.

Após isso, serão espalhados cerca de 70 metros cúbicos de areia para preencher os buracos. Este procedimento além de tornar o campo mais macio, permite uma renovação de parte da grama, melhora significativamente a drenagem, permite as raízes da grama um melhor acesso a adubação, irrigação e oxigenação, o que contribui para crescimento mais rápido das raízes e torna o gramado mais saudável.

Foto: Mateus Frozza/Rádio Chapecó

O engenheiro agrônomo, Emerson Horostecki, responsável técnico pelos cuidados com o gramado da Arena Condá, afirma que o tempo de 30 dias sem utilizar o gramado é fundamental para que no início da próxima temporada a Arena esteja com um gramado 100% recuperado. “Se não respeitarmos o prazo ideal corremos sérios riscos de termos problemas durante a temporada. Porque depois que iniciam os jogos só tem tempo para fazer a manutenção.”

Além disso, a máquina utilizada vem de fora e existe um planejamento antecipado sobre as datas em que ela ficará em Chapecó para executar o trabalho na Arena Condá e, também, no CT.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here