A APAE de Chapecó além de buscar a melhor qualidade de vida para seus usuários tem entre seus objetivos prevenir a ocorrência de deficiências. E esse trabalho é realizado através do Programa Prevenir e considera dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo a qual 70% das deficiências poderiam ser evitadas através de medidas de prevenção aplicadas antes de a mulher engravidar, durante a gravidez, no momento do parto e depois do nascimento durante o desenvolvimento da criança.

Divulgação

E para que possa esclarecer para a população de Chapecó como ser feita essa prevenção a Apae Chapecó desenvolveu conteúdo para divulgação através de um folheto. Nesse folheto contém dicas de prevenção de deficiência. Entre umas das indicações feitas é para que, antes da gravidez, no período de pré-concepção, o casal faça o planejamento e procure o médico para saber a situação da saúde.

Com isso além de prevenir-se de doenças infecciosas e sexualmente transmissíveis, também é necessário fazer uso do ácido fólico e procurar o serviço de aconselhamento genético quando houver casos de deficiência na família. O material mostra que durante a gravidez, no período pré-natal, há fatores primordiais a serem seguidos.

Entre os fatores a ser seguidos estão: ter acompanhamento de médico obstetra e realizar exames periódicos de controle, como hemograma, sífilis, herpes, toxoplasmose, rubéola e diabetes; tomar remédios somente prescritos pelo médico, inclusive cremes corporais; não fumar, não consumir bebidas alcoólicas e nenhum outro tipo de droga; e ter alimentação saudável.

Não só antes, mas no momento do parto, ou período perinatal, também requerem cuidados de prevenção. Nessa hora, a indicação é para que a mãe faça questão de ter seu filho em um hospital na presença de médico, exija o teste Apgard e, principalmente, amamente o bebê o quanto antes, se possível já na sala de parto.

No material a Apae Chapecó também apresenta alguns cuidados para depois do nascimento, o período pós-natal. A dica é de que, ainda no hospital, a mãe exija todas as vacinas e também os testes, como do pezinho, do olhinho, da orelhinha, do coraçãozinho e da linguinha.

Em seguida a isso é necessário amamentar o bebê pelo menos até os dois anos de vida e manter a atenção para sinais de atraso de desenvolvimento e, ao menor sinal, procurar um médico e serviço especializado.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here