A Chapecoense pisou no Maracanã precisando vencer para sair da zona do rebaixamento, mesmo sem nunca ter batido o Flamengo no Rio de Janeiro nem ter vencido fora de casa na Série A desse ano. No ano dos tabus quebrados, a torcida era para quebrar mais um, desta vez de forma positiva para a Chape.

A bola rolou e o jogo era bom. Nos minutos iniciais a equipe catarinense se portava como um time de Série A. Embora não jogasse tanto pelos flancos, chegava ao ataque.

A primeira substituição, no entanto, teve de ser feita ainda na primeira etapa. Capixaba, lesionado, deu a lugar a Marquinhos aos 33 minutos. Já a bola parada era um problema a ser resolvido. Seja em faltas ou escanteios, Canteros deixava a desejar e Diego Torres estava no banco.

O lado esquerdo de defesa do Verdão era vulnerável. E foi por lá que o Flamengo abriu o placar, fazendo um a zero com Renê aos 44 minutos. E antes de terminar o primeiro tempo, quase ocorreu o segundo, mas veio o intervalo e ficou nisso.

Sobre Capixaba, que deixou o gramado machucado, a informação do clube é que o jogador sentiu o adutor da perna direita e passará por avaliação quando chegar em Chapecó. A segunda substituição aconteceu no vestiário, antes da volta para o segundo tempo. Saiu Amaral e entrou Barreto. No Flamengo saiu Rodinei, entrou Pará.

O primeiro tempo terminou com maior posse de bola do time casa, mas o Mengo não teve tanta superioridade assim. O problema foi o gol sofrido, pois de novo a Chape parece ter sentido muito o golpe. Foi assim no fim dos primeiros 45 minutos e no início do tempo complementar.

Não demorou e o Flamengo fez o segundo gol. Em cobrança de falta, Leandro Pereira estava na barreira e tocou a mão na bola dentro da área. Pênalti. Diego, aos 10 minutos, cobrou a penalidade e ampliou.

Diego Torres entrou somente aos 27 minutos, no lugar de Márcio Araújo. Pouco depois, aos 30’, o mesmo Diego Torres já fez boa jogada e deixou Rafael Thyere “pifado”, mas Diego Alves fez uma defesa melhor ainda.

Ainda não foi dessa vez a primeira vitória fora da Arena Condá, o que não acontece desde 18 de março, pelo Campeonato Catarinense. Na 14ª rodada a Chapecoense fez dois a zero no Tubarão.

Na próxima quinta-feira (13) tem Chape x Atlético Paranaense, jogo atrasado da 20ª rodada. Com a derrota deste sábado o Verdão permaneceu na penúltima posição, com 22 pontos.

Flamengo: 1)Diego Alves 2)Rodinei (Pará) 43)Léo Duarte 15)Réver 6)Renê 25)Piris da Motta 5)Willian Arão 10)Diego 7)Everton Ribeiro (Marlos) 20)Uribe (Berrío) 14)Vitinho Técnico – Maurício Barbieri

Chapecoense: 93)Jandrei 2)Eduardo 3)Rafael Thyere 22)Nery Bareiro 37)Roberto 8)Canteros 55)Amaral (Barreto) 15)Márcio Araújo 48)Capixaba (Marquinhos) 90)Leandro Pereira 29)Bruno Silva Técnico – Guto Ferreira

Arbitragem: Leandro Bizzio Marinho, auxiliado por Daniel Luis Marques           e Daniel Paulo Ziolli – Trio CBF de SP. 4º árbitro – Daniel de Oliveira Alves Pereira (CBF/RJ). Assistente Adicional 1 – Rafael Gomes Felix da Silva (CBF/SP) / Assistente Adicional 2 – Thiago Duarte Peixoto

Cartões amarelos: Renê, Piris da Motta (Fla); Roberto (Chap)

Estádio: Mário Filho, Maracanã, no Rio de Janeiro

Horário: 21h (Sábado, dia 8/09/18)

Público: 28.983 (Pagante) / 30.647 (Total)

Renda: R$ 739.360,00

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here