Taxistas: Sem segurança e agora sem abrigo na cidade

Além de os motoristas se sentirem ameaçados pelo número de assaltos, agora alguns estão sem a famosa "casinha do taxista", um dos trabalhadores chegou a sentar em um banco público com o guarda chuva para esperar o cliente

0
5304

Nos últimos tempos os taxistas de Chapecó vem sofrendo com a violência. Só nos últimos dias 3 taxistas foram assaltados, e por conta deste perigo, muitos motoristas de táxi estão desistindo da profissão.

Segundo o presidente do Sindicato dos Taxistas Antônio de Mattos, ao todo são 150 profissionais trabalhando na categoria em Chapecó, e já foi buscada a ajuda com as autoridades como Polícia Civil, Polícia Militar e Promotor de Justiça, todos se comprometeram em ajudar.

e770793d-bfde-4f42-b536-679a40739468
Na espera de cliente, e ausência de abrigo, taxista fica com guarda chuva em um banco da cidade

Outra situação que foi comentada em relação aos taxistas, diz respeito aos abrigos que existiam sobre os passeios públicos e que foram retiradas ainda no ano passado. Antônio falou que essa situação prejudicou muito os taxistas pois os últimos dias tem sido de bastante calor, poisa o veículo fica no sol e isso automaticamente deixa o carro com temperatura muito alta. O frio e chuva também trazem dificuldades ao taxista.

Em alguns pontos da cidade, ainda tem a casinha para o taxista em outros pontos não, o presidente do sindicato disse que eles foram informados que isso é porque em alguns lugares há espaço e em outros lugares não.

Por exemplo, na avenida Getúlio Vargas tem espaço no canteiro para colocar a casinha e em outros pontos não tem espaço, por conta desta questão de acessibilidade, algumas casinhas foram retiras pois acabava “atrapalhando” as pessoas que tem algumas necessidades especiais.

Prefeitura 

Em nota, a Prefeitura de Chapecó assim se manifestou:

A Administração Municipal informa que a retirada de abrigos em pontos de táxis em diferentes ruas do Município decorre de recomendação do Ministério Público para atender às normas de acessibilidade.

Sem comentários

Deixe uma resposta